Vá diretamente para o conteúdo da página Ir para a navegação principal Ir para a pesquisa

Na Áustria, a Austrian Power Grid AG recorreu à Omexom para o suprimento em eletricidade da sua nova linha aérea de transporte de eletricidade de 380 kV localizada nas montanhas de Salzburgo.

A rede elétrica austríaca de extra-alta tensão é caracterizada por sua estrutura em forma de anéis, que permite abastecer os usuários nos dois sentidos. As redes de anéis equipados com proteções e disjuntores na entrada e saída de cada subestação têm a vantagem de proporcionar uma continuidade de serviço em caso de incidente e permitir a realização de obras de manutenção em partes da instalação sem parar a produção.

A linha elétrica de 220 kV operada pela Austrian Power Grid AG, que liga a subestação de Salzburgo com Elixhausen (Flachgau) e a de Tauern com Kaprun (Pinzgau), data de 1960.

Era necessário construir uma nova linha aérea de transporte de eletricidade de 380 kV para garantir a segurança de abastecimento do país e para respaldar as ambições da Áustria no que diz respeito à transição energética. A linha de 220 kV é, de fato, um gargalo, especialmente quando a energia renovável, especialmente a eólica, em plena expansão na Áustria, é injetada na rede.

“As restrições específicas desta obra nos obrigaram a planejar o trabalho em quatro anos e meio ao invés de dois anos para uma obra clássica.”

O anel de 380 kV destina-se, portanto, a se tornar a espinha dorsal do abastecimento de eletricidade da Áustria. A nova linha de Salzburgo de 128 km, que custou cerca de 890 milhões de euros para ser construída, completará a rede no oeste do país.

A obra, que também inclui a modernização da rede e a construção de novas subestações e nós de rede, começou em janeiro de 2020. A linha deve ser concluída em abril de 2024“, declara Jens Schulz, chefe da Divisão de Construção das Linhas Aéreas Sul/Oeste da Omexom Hochspannung na Áustria, uma empresa da marca VINCI Energies dedicada às infraestruturas energética e responsável pelo projeto.

Métodos de construção inovadores

A construção desta nova linha enfrenta, no entanto, dificuldades devido ao relevo desta região montanhosa. “A localização alpina da instalação dificulta o acesso a certas torres, sem mencionar as condições climáticas nas montanhas“, explica o gerente da divisão da Omexom Hochspannung.

Outra dificuldade foi que “também tivemos que levar em conta as restrições de acesso em certas áreas protegidas, por exemplo por conta da nidificação ou da proibição de corte de árvores em certas épocas do ano. Estas restrições nos obrigaram a planejar o trabalho em quatro anos e meio ao invés de dois anos para um projeto de escala comparável.”

Para adaptar-se a essas condições particulares, a empresa teve que ampliar a rede existente de estradas florestais, utilizar caminhões adaptados às pistas estreitas e guindastes instalados em plataformas móveis. Em alguns lugares, planeja-se utilizar teleféricos e helicópteros. Às vezes é até necessária uma construção auxiliar chamada ‘derrick’ para realizar o trabalho de montagem quando um guindaste comum não consegue chegar ao local da torre.

Chamamos empresas parceiras suíças e italianas especializadas nestas técnicas para treinar nossas equipes“, observa Jens Schulz. A inovação do projeto se deve, portanto, em grande parte, à capacidade de mobilizar métodos de construção tão variados.

16/06/2022