Com o apoio das novas possibilidades oferecidas pela inteligência artificial no processamento de imagens, a Axians Itália está desenvolvendo o “Venice Crowd Project”, destinado a gerenciar melhor os fluxos de turistas no centro de Veneza.

O centro histórico de Veneza, povoado por cerca de 53.000 habitantes, acolhe mais de 30 milhões de visitantes por ano, ou seja, 82.000 por dia. Uma frequentação turística tão importante traz certamente um grande benefício econômico para a Sereníssima, mas é também a causa de muitos problemas, começando pela gestão dos fluxos crescentes de visitantes. Em fevereiro de 2019, o município abriu uma licitação para projetar e instalar uma solução inteligente analisando o fluxo de pessoas no centro histórico. A ideia é alimentar uma Smart Control Room com dados muito precisos, atualizados a cada 5 segundos, a fim de fazer previsões e tomar decisões em tempo real.

Estamos instalando 35 “portas” equipadas com um ou mais sensores para detectar os fluxos de pedestres ao longo do seu percurso por Veneza.

As aplicações concretas deste novo sistema devem permitir, por exemplo, emitir alertas automáticos de segurança (pânico na multidão, etc.), aprimorar a eficiência e a qualidade do serviço de transporte (ônibus, trem e Vaporetto), sugerir aos turistas os melhores momentos e horas de visita, ou otimizar a oferta de serviços da cidade.

Visão estéreo e “radio sniffers”

Em maio de 2019, a solução “data driven” da Axians Itália venceu a licitação. “Através do Projeto Venice Crowd, propusemos instalar 35 ‘portas’ equipadas com um ou mais sensores para detectar os fluxos de pedestres ao longo do seu percurso, desde a estação rodoviária na Piazzale Roma e a estação ferroviária de Santa Lucia até a Piazza San Marco“, explica Andrea Troisi, IoT Team Manager na Axians Itália. “Os dados de cada local são encaminhados para a Smart Control Room por meio da fibra ótica e das conexões 4G LTE, ambas protegidas com túneis VPN“, acrescenta ele.

Os sensores têm a particularidade de serem “inteligentes”. Integram duas tecnologias diferentes utilizadas simultaneamente e em tempo real: a análise de vídeo estéreo com câmeras 3D que oferecem uma precisão de detecção de 98% e “radio sniffers” (farejadores) para detectar os dispositivos móveis (Wifi e Bluetooth Low Energy). “Estes sensores não fornecem imagens ou vídeos brutos, mas pacotes de dados muito precisos e anônimos, respeitando assim a confidencialidade dos dados pessoais de acordo com a legislação europeia“, salienta Andrea Troisi. Para além da proeza técnica de projetar um software ad hoc para gerenciar todos estes dados em tempo real, a Axians também teve de se adaptar às exigências e especificidades da Cidade dos Doges. “Por exemplo, tivemos que garantir que os sensores permanecessem invisíveis para os visitantes para respeitar a estética dos monumentos, trabalhar à noite em certas áreas estreitas e de alto tráfego e alugar uma frota de barcos para transportar os equipamentos até o local“, explica Andrea Troisi.