A Actemium projetou um robô capaz de realizar, a pedido, o transporte de pó farmacêutico de um ponto até outro da cadeia de produção.

Para seu cliente, o laboratório farmacêutico AZO, especialista em sistemas automatizados de manuseio de matérias-primas, associou-se à Actemium, a marca da VINCI Energies dedicada aos processos industriais, para projetar um robô inovador.

A ideia era encontrar uma maneira inovadora de transportar, de maneira descontínua, o pó farmacêutico da extrusora que o produz até a etapa seguinte do processo de fabricação.

“Este processo oferece maior flexibilidade no gerenciamento das matérias transportadas e diminui o risco de contaminação do produto.”

Para substituir os sistemas tradicionais de transporte (rosca helicoidal, transportadora com esteira ou tubular) que garantem um fluxo constante, a Actemium e a AZO construíram um sistema automatizado capaz de apanhar e retirar recipientes cheios de pó e transportá-los de um ponto a outro.

“Este processo oferece maior flexibilidade no gerenciamento das matérias transportadas. Também tem a vantagem de reduzir o risco de contaminação do produto, porque só é preciso limpar os recipientes e não toda a cadeia de transporte como nos sistemas tradicionais”, explica Xavier Devolder, Business Unit Manager da Actemium Digital Factory Gent, na Bélgica.

Simulações prévias

Operacional desde o verão de 2019, este projeto enfrentou uma série de desafios. “Tivemos de fazer todo um trabalho de engenharia com muitas simulações para otimizar a precisão dos movimentos do robô, e evitar colisões com outras instalações, por conta do espaço muito restrito em que ele se move“, destaca Fran Audenaert, Branch Manager da Actemium Digital Factory Gent.

Além disso, acrescenta ela, o cliente queria que os operadores estivessem o mais próximo possível do robô, por isso projetamos sistemas de segurança com painéis de aço e acrílico.

15/04/2021