Desde o final de 2020, a Actemium Bordeaux Energies et Services utiliza a simulação holográfica 3D. Seus clientes podem se projetar concretamente em seu futuro ambiente de trabalho. A inovação tecnológica permite mais transparência e confiança.

No setor industrial, a gestão de projetos às vezes se depara com a dificuldade que os clientes têm em se projetar na realização futura. Um plano bidimensional, ou mesmo uma maquete, revela apenas uma visão do resultado final, gerando às vezes mal-entendidos entre o cliente e seu prestador de serviços.

Diante desta situação e a fim de se destacar da concorrência, a Actemium Bordeaux Energies et Services decidiu, há dois anos, passar para a modelagem 3D. A empresa da VINCI Energies, que trabalha em projetos industriais multitécnicos (engenharia elétrica e mecânica), equipou-se com um capacete de realidade virtual, dois joysticks, sensores de posição, todos conectados a um PC.

Infelizmente, a experiência foi uma decepção. O dispositivo não só exige que o ambiente de trabalho seja previamente modelado, mas alguns clientes sofrem de “motion sickness”, o enjoo de movimento.

“Imerso em um mundo virtual sem contato com o mundo exterior, o usuário fica totalmente desnorteado, explica Eric Bousquet, gerente da Actemium Bordeaux Energies et Services. Há um desfasamento entre o que o ouvido interno e os olhos percebem. “

Com base nesta experiência, a Actemium Bordeaux Energies et Services opta no final de 2020 pela projeção holográfica com o dispositivo de realidade mista HoloLens 2 da Microsoft.

O capacete agora é autônomo e não requer sensores. Acima de tudo, não é mais necessário modelar a instalação industrial. O usuário está imerso no ambiente existente, na escala 1, enquanto interage com objetos virtuais que se sobrepõem ao mundo real.  

Mais transparência e mais confiança  

A simulação holográfica 3D permite visualizar e antecipar todas as fases do projeto e assim garantir a adesão de todas as partes envolvidas. “É uma ferramenta unificadora”, constata Eric Bousquet.

“Um gerente de projeto pode convidar operadores para conhecer sua opinião, acrescenta o gerente da empresa. É importante envolver as equipes na definição da necessidade. São elas as mais interessadas no projeto, seus hábitos de trabalho serão alterados. “

A videoconferência também permite colaborar remotamente com especialistas das áreas ou compradores, o que diminui as viagens. O cliente vê exatamente o que o usuário vê no capacete. Ele pode direcioná-lo, desenhar na tela, apontar para um elemento a ser modificado.

“Com alguns meses de uso, o sistema foi totalmente adotado!”

Um técnico pode aprender virtualmente as manipulações a serem realizadas em um equipamento antes de ir para o local. Em total segurança, ele repetirá quantas vezes forem necessárias os gestos que terá que realizar.

Internamente, os técnicos da Actemium seguem as diferentes etapas do projeto, sobrepondo o modelo existente ao modelo alvo.

“Com alguns meses de uso, o sistema foi totalmente adotado, mesmo por clientes inicialmente céticos!” conclui Eric Bousquet. Ao permitir que eles vejam a instalação real que estão comprando, a solução reforça a transparência e a confiança no relacionamento com o cliente.

 

14/10/2021