Com a ajuda de Axians, esta empresa holandesa de negócio de flores utiliza os dados para limitar seus custos, tornar mais previsível seu abastecimento e melhor atender seus clientes.  

O Dutch Flower Group, como seu nome sugere, opera em um setor geralmente associado aos eventos felizes e às oportunidades de agradar alguém mandando buquês através da empresa holandesa que atende todo tipo de vendedor e revendedor: atacadistas importadores, supermercados, lojas de jardinagem, etc.

Mas até chegarem ao vaso, as flores devem seguir um caminho complicado. Algumas delas terminarão em um aterro sanitário porque, desde seu cultivo até a venda em buquês,  as flores são um produto particularmente frágil que murcha depois de um certo tempo.

A fim de limitar as perdas, de reduzir os custos mas também de ajudar os fornecedores a melhor antecipar a procura, a Dutch Flower Group elaborou um plano de ação baseado nos dados. Implementado com a assistência da Axians, a marca TIC da VINCI Energies, este plano visa explorar a grande quantidade de dados que a empresa holandesa e seus parceiros coletam ao longo da cadeia de vida das flores.

O comércio de produtos frescos é um processo em tempo real difícil de antecipar e ajustar por conta das frequentes flutuações dos estoques. A solução: introduzir marcadores digitais fiáveis que darão aos responsáveis comerciais e aos produtores previsões de vendas detalhadas elaboradas a partir do tipo de cliente, das localizações e das quantidades.

75 milhões de hastes por semana

Essa foi a opção feita pela Dutch Flower Group, uma estrutura reunindo mais de 30 organizações comerciais individuais. Juntos, processam 75 milhões de “hastes” por semana, 10 milhões de buquês e mais de 5 milhões de unidades de plantas.

Estes números, bem como a importância e a heterogeneidade da sua clientela, confirmam a importância do plano relativo aos dados atualmente implementado para que o grupo seja mais do que um mero fornecedor: um verdadeiro aliado para os seus parceiros. “Queremos aumentar nosso valor agregado para os clientes e, juntos, otimizar o faturamento“, diz Michel van Hout, diretor digital do Dutch Flower Group, convencido de que “os dados desempenham um papel fundamental nesta transição“.

Esta convicção se baseia em várias experiências anteriores bem-sucedidas. “No Quênia, por exemplo, ajudamos os agricultores a prever melhor a safra a partir dos dados históricos. Esta ferramenta dá-nos mais certeza porque torna o fornecimento de flores mais previsível. Isto também traz vantagens para os produtores. Eles podem planejar melhor o trabalho dos seus funcionários.”

“É precisamente nos pontos de encontro dos elementos da cadeia de valor que podemos lucrar mais com uma melhor utilização dos dados.”

Outro exemplo citado por Michel van Hout: com a ajuda da Axians, o Dutch Flower Group instalou na Grã-Bretanha um sistema de previsão da demanda de buquês para uma importante cadeia de supermercados. “Fizemos uma estimativa das variações na demanda dos seus clientes com base nos dados, o que minimiza o desperdício, explica. Além disso, essas previsões fornecem dados valiosos para calcular nossas compras junto aos produtores e otimizar a cadeia logística. Podendo prever graças aos dados o que fará o cliente do nosso cliente, nós economizamos custos e ambos otimizamos nossas vendas. É precisamente nos pontos de encontro dos elementos da cadeia de valor que podemos lucrar mais com uma melhor utilização dos dados.”

Tempo e método

É certo que num plano de ação como aquele elaborado pelo Dutch Flower Group, a implementação das ferramentas assim como a evolução das práticas das partes interessadas exigem tempo e método. O grupo deve “por em ordem ” seus dados e sua infraestrutura, reconhece Michel van Hout.

No negócio das flores, “a automatização e a digitalização já estão presentes, mas há muitas tecnologias sob medida e sistemas ERP (Enterprise Resource Planning) obsoletos, e a utilização das ferramentas mais recentes ainda está engatinhando“. Para acelerar e alcançar progressos tecnológicos significativos, “o apoio de todos na organização é muito importante“.

Para contar com a adesão de todos, é necessário “convencer as pessoas demonstrando os benefícios da digitalização“. É claro que é decisivo, acrescenta Michel van Hout, “poder contar com a qualidade dos dados que vamos usar“. A última mensagem do Diretor da digitalização do Dutch Flower Group: “É importante continuar a aprender, compartilhar experiências e comunicar abertamente sobre este assunto.”

20/02/2020