A Axians, em parceria com duas empresas americanas, Pure Storage e Rubrick, desenvolveu uma solução inovadora de armazenamento, backup e gestão de dados.

Elemento central do sistema de informação, o data center é obrigado a se adaptar permanentemente a uma realidade que oscila devido as novas tecnologias e utilizações. A computação em nuvem permitiu as empresas variar sua capacidade de armazenamento e de gestão da informação, além de diminuir os custos, porque elas pagam conforme a utilização. Também levou a substituição dos discos rígidos mecânicos “full flash”, e respondeu a necessidade de acesso cada vez mais rápido a informação.

O advento da Inteligência Artificial (IA), do big data e da internet das coisas (IoT) é um novo desafio para as direções de sistemas de informação (DSI) e de armazenamento de dados.

“A nova geração do data center precisava responder ao conjunto de questões levantadas por tais inovações”, resume Yves Pellemans, Chief Technology Officer (CTO) da Axians France (VINCI Energies). « O objetivo era encontrar uma solução altamente adaptável e dimensionável a utilização em nuvem, que também reduzisse os preços significativamente”, explica Pellemans.

A solução implementada pela Axians, em parceria com duas empresas americanas, Pur Storage e Rubrick, responde  a todos os requisitos e vai além, ao liberar os DSI de uma grande quantidade de tarefas, que passaram a ser automatizadas graças à IA.

O  componente da Pure Storage, utilizado pela Axians, oferece o armazenamento da nova geração, enquanto Rubrick fornece o backup e arquivos inteligentes. As duas empresas desenvolveram um API (Application Programming Interface, ou Interface de Programação Aplicativa) que permite a comunicação entre eles.

Automatização

Se até agora, os DSI eram obrigados a averiguar “manualmente”  se  o backup havia sido realizado corretamente, se  os dados estavam no lugar certo, a data de validade dos volumes ou sua supressão, agora essas tarefas e outras como,  criação de espaço de armazenamento, de preservação e gestão são automatizadas.

“A automatização permite reduzir em 90% as tarefas operacionais e de administração”

Com essa solução, “hierarquizamos o armazenamento, deslocamos os dados automaticamente, para o destino correto, para que o armazenamento seja replicado, preservado e restaurado para outras utilizações como big data e a inteligência artificial”, detalha Yves Pellemans,  e adiciona: “a automatização permite reduzir em 90% as tarefas operacionais e de administração”, liberando assim tempo para atividades de maior valor agregado.

A redução considerável do espaço de armazenamento é outro benefício da nova geração de data center, com consequente redução da pegada de carbono, pois os servidores necessitam de menos energia e menos circuitos de resfriamento.

“Com a solução Pure Storage, para o mesmo volume de dados utilizamos 4U, quando, há somente 6 anos, eram necessários 12 rack units de 42U”, afirma, entusiasmado, o CTO da Axians France. O espaço de armazenamento é otimizado, mas também extremamente expansível. O modelo “scale out” permite que o data center cresça e se multiplique de acordo com os contratos de serviço, ou diminua, sem que seja necessário reconfigurar sua arquitetura.