A Cegelec City Solutions Vienna (VINCI Energies) é responsável pela eletricidade, o cabeamento e a proteção contra raios de nove novas estações do metrô da capital austríaca.

Com a expansão da linha U2 e a construção da linha U5, a capital austríaca está expandindo e modernizando sua rede metropolitana para melhor atender as necessidades da população prevista de 2 milhões de habitantes em Viena em 2030. “A integração destas duas linhas é a melhor contribuição possível para a rede subterrânea existente“, afirma Ingrid Monsberger-Köchler, responsável da comunicação da Wiener Linien, a operadora da U-Bahn de Viena. “As estações de Rathaus, Neubaugasse e Pilgramgasse tornar-se-ão as principais estações subterrâneas de integração com as outras linhas de metrô”.

Tal como a rede de Paris, a rede de Viena oferece aos passageiros a integração com as principais estações ferroviárias, e também com o S-Bahn, o equivalente do RER francês (Rede Expressa Regional). Uma rede U-Bahn – S-Bahn que as obras em curso irão desenvolver ainda mais, enfatiza a responsável da da Wiener Linien: “Para além das integrações existentes na estação central e na estação Meidling, os passageiros poderão fazer a baldeação do metrô (U-Bahn) para o S-Bahn em Matzleindorfer Platz“, uma nova estação situada na extensão da linha U2.

Esta integração adicional abre o caminho para “novas rotas, reduzindo ao mesmo tempo os tempos de transporte“. “Com estas múltiplas conexões subterrâneas, indica o gerente do metrô, as novas linhas funcionarão como um catalisador: não só aliviarão a pressão nas linhas mais frequentadas, como também melhorarão a eficiência de toda a rede de transportes públicos. »

Uma rede ampliada e interconectada

A obra em andamento, com a Cegelec City Solutions Vienna (VINCI Energies) sendo responsável pelo cabeamento e pelas instalações elétricas, amplia significativamente a rede subterrânea, que hoje abrange 80 km de vias com 109 estações.

A linha U2 entre Seestadt e Karlsplatz será modificada de duas maneiras. Por um lado, será prolongada de Rathaus a Neubaugasse e de Matzleindorfer Platz a Wienerberg, tornando-a a mais longa linha de metrô da rede. Por outro lado, uma parte do seu túnel e dos seus trilhos será utilizada para fazer passar a nova linha U5 desde Karlplatz até Rathaus. Esta rota continuará a oeste até o AKH e Elterleinplatz, no distrito de Hernals.

As obras “devem evidentemente levar em consideração as restrições ligadas à construção de uma rede subterrânea nos bairros do centro da cidade”.

Quanto à U5, será “a primeira linha subterrânea de Viena totalmente automatizada“, informa Ingrid Monsberger-Köchler, responsável da Wiener Linien. Esta inovação exigirá a modernização das estações, particularmente as de Karlsplatz até Rathaus, que serão equipadas com portas de plataforma.” Com estas obras, as estações em questão ficarão fechadas durante um certo tempo, mas “o resto da rede subterrânea não será perturbado“, explica.

Além disso, a integração U2 e U5 irá preencher um gap no coração da rede: uma parte de Viena onde vivem e trabalham cerca de 370.000 pessoas e onde as linhas estão particularmente lotadas. Nesta área, os passageiros beneficiarão das novas integrações criadas na linha U2 de Seestadt para Wienerberg e na linha U5 de Karlsplatz para Elterleinplatz: “Em toda a rede, 10 estações estão agora integradas com o metrô, e aumentarão para 14 estações uma vez realizada a integração U2xU5“, esclarece Ingrid Monsberger-Köchler.

Obras até 2026

As obras em que participa a Cegelec City Solutions Vienna devem durar até 2026. Os preparativos para a primeira fase já começaram: construção das estações Frankhplatz e Reinprechtsdorfer Straße, construção da integração U2xU4 na Pilgramgasse, reconversão de um trecho da linha U2 que dará lugar à linha U5. Em todas estas estações, a Cegelec instala as condutas e os suportes de cabos, instala o sistema de distribuição elétrica, bem como o cabeamento necessário para os sistemas de evacuação de calor e de fumaça.

Todas as operações devem respeitar as restrições ligadas a qualquer construção de uma rede subterrânea nos bairros do centro da cidade”, salienta o operador da Wiener Linien. Os trabalhos preparatórios incluíram o reforço dos edifícios, por exemplo, para poder construir os túneis subterrâneos. Em determinados locais, o tráfego também deve ser desviado e, de uma maneira geral, devemos limitar os inconvenientes como o barulho da construção em áreas densamente povoadas.”

10/09/2020