Na Bélgica, a Infrabel, a entidade gerente da infraestrutura ferroviária, confiou à Cegelec IMCS a realização de um sistema de verificação dos levantamentos topográficos ferroviários. O projeto Hyperion vai otimizar a segurança dos trens.

A fim de tornar a rede ferroviária e o tráfego ferroviário mais seguros, a Europa adotou o Sistema ETCS (European Train Control System). A Bélgica foi um dos primeiros países a aplicar esta norma de sinalização e de controle da velocidade dos trens. Para cada trem, o ETCS calcula uma velocidade máxima que aparece em permanência no painel de comando do maquinista. Se a informação não for respeitada, um sistema embarcado assume então o controle do trem para diminuir a velocidade.

O sistema é baseado nos equipamentos no solo que interagem com um dispositivo a bordo do trem. Seu alto nível de confiabilidade depende da precisão dos dados que permitirão calcular a velocidade do trem de acordo com sua localização instantânea. É por isso que a concepção de um sistema ETCS para uma determinada rota é uma fase crítica.

“Nosso sistema de aquisição de dados vai além dos pré-requisitos da Infrabel: realizar a aquisição com um trem a 120 km/h e garantir uma precisão inferior a 1 m.”

Na Bélgica, o gerente da rede ferroviária, Infrabel, encarregou a Cegelec IMCS (Industrial Measurers & Control Systems) de realizar um instrumento de validação dos dados topográficos que serão introduzidos no computador de bordo dos trens.

Eis o princípio deste projeto, chamado Hyperion: o sistema coleta os dados relativos aos elementos de segurança (sinalização, caixas de comando, interruptores, etc.), posiciona-os no mapa da rede ferroviária e compara-os com os da base de dados.

Raphael Van den Bogaert, da Cegelec IMCS, acrescenta: “O sistema de verificação que estamos instalando vai medir a infraestrutura existente de maneira autônoma a fim de comparar nossos dados, sobretudo os dados topológicos, com a medição prévia efetuada pelo gerente da rede. É apresentado um relatório à Infrabel, que adaptará então, se necessário, a sua última medição.

A dez centímetros da realidade

Para realizar o levantamento topográfico de referência atendendo às especificações da Infrabel, a Cegelec instalou um sistema de sensores de visão e localização em um trem ad hoc, a fim de efetuar medições e realizar os levantamentos úteis. Este trem circula na rede e registra os dados que descrevem a infraestrutura ferroviária. Estes dados serão processados para elaborar o levantamento que servirá como referência para a verificação.

“Nosso sistema de aquisição de dados cumpre os pré-requisitos da Infrabel: coletar os dados com um trem a 120 km/h e garantir uma precisão inferior a 1 m, o padrão em vigor para a sinalização digital. Vamos além deste requisito, uma vez que estamos a 10 cm da realidade”, salienta Raphael Van den Bogaert.

A combinação das duas exigências, a velocidade e a precisão, foi um desafio. As medições topográficas da Infrabel são geralmente realizadas a 30 km/h. “Para não perturbar o tráfego durante o dia com licenças especiais, o gerente da rede estabeleceu esta velocidade de 120 km/h“, explica Raphael Van den Bogaert.

O resultado é convincente: Hyperion analisa os dados adquiridos no campo com uma taxa de identificação de 99%. Reconhece os sinais, as mudanças de vias, as balizas que enviam informações para o trem e os elementos de sinalização de trânsito. “Em três dias, o inquérito é concluído, sem os erros inerentes ao antigo sistema onde duas pessoas assistiam a um vídeo filmado pelo trem“, acrescenta.

O projeto Hyperion, realizado pela Cegelec IMCS, foi selecionado pela RailTech Europe para o Prêmio de Inovação na categoria infraestruturas. O gerente da rede ferroviária belga aprecia esta inovação, que “permitirá à Infrabel reagir rapidamente às revisões da infraestrutura quando forem necessárias adaptações ETCS“, de acordo com Patrick Buckens da Infrabel.

15/10/2020