Desde agosto de 2020, a maior rede de estações de recarga para veículos elétricos da França é administrada por esta joint venture entre a VINCI Autoroutes e a VINCI Energies.

Criada em 2015, a rede interdepartamental de recarga elétrica eborn reúne hoje onze operadores de energia no sudeste da França. Esta rede de 1.200 estações de carregamento nas regiões Auvergne-Rhône-Alpes e Provence-Alpes-Côte d’Azur oferece aos particulares, empresas e autoridades locais o mesmo serviço de recarga para veículos elétricos e híbridos plug-in.

Desde agosto de 2020, o consórcio que associa EasyCharge, uma joint venture da VINCI Autoroutes e VINCI Energies, e o FMET (Fundo de modernização ecológica dos transportes) obteve a concessão para a gestão e o desenvolvimento da rede eborn por um período de oito anos.

“Somos responsáveis pelo financiamento de novas infraestruturas, e pela operação, manutenção e gestão comercial da rede”, explica Eric Mendels, gerente da Easy Charge Lyon.

A menos de 30 km de distância

Eborn é a maior rede deste tipo na França em termos de número de estações de carregamento, incluindo quase uma centena de terminais de 50 kW que permitem fazer uma recarga para uma autonomia de 100 km em menos de 30 minutos.

Presente tanto em áreas urbanas como rurais, nas montanhas e até mesmo em estações de esqui, a rede tem uma densidade que permite aos usuários encontrarem um ponto de recarga a menos de 30 km.

“Com o cartão eborn, nossos assinantes beneficiam não apenas de tarifas preferenciais, mas também do acesso a quase todas as estações de outras redes de recarga na França, tais como Belib’ e Ionity”, acrescenta Eric Mendels.

A vantagem da Easy Charge é que realiza a concepção e construção, bem como a operação e a manutenção da rede, aproveitando a experiência e competências de todas as empresas do Grupo VINCI, como Eurovia, VINCI Autoroutes e VINCI Energies.

“Graças ao nosso amplo perímetro de competências, somos o interlocutor único para os onze operadores de energia do departamento responsáveis da eborn”, observa o gerente da Easy Charge Lyon.

100 estações adicionais até 2022

Eric Mendels enfatiza que, para lidar com os assinantes BtoC, a experiência da VINCI Autoroutes, empresa na qual ele trabalhava, é decisiva ao nível comercial.

Com cerca de 3.000 assinantes até o momento, a eborn desenvolveu vários serviços como a reserva de pontos de recarga (por 30 minutos), o lançamento da recarga através do aplicativo no smartphone, mas também um sistema de estações de recarga a pedido.

“Assim que três pessoas solicitam a instalação de uma estação no mesmo local”, explica ele, “fazemos um estudo de oportunidade para ver se faz sentido criar um novo uso localmente.”

Quanto ao serviço, a manutenção é obviamente crucial. “Garantimos o conserto de um terminal defeituoso dentro de 72 horas, ou 24 horas para um terminal usado regularmente”, diz o gerente da empresa.

E mais: a empresa se compromete a intervir em 2 horas para os clientes cujo cabo fica bloqueado no ponto de recarga, “um incidente felizmente raro”, diz Eric Mendels, cuja empresa planejou investir 3 milhões de euros para instalar 100 terminais adicionais até 2022.

 “Garantimos o conserto de um terminal defeituoso dentro de 24 horas para os terminais regularmente usados”.

A recarga elétrica: um mercado muito disputado na Alemanha

 Na Alemanha, 35.845 pontos de carga normal e 5.906 pontos de carga rápida estavam em operação em 1 de abril de 2021 (cerca de 31.000 no total na França). O governo federal alemão criou especialmente uma empresa, NOWGmbH, para apoiar o mercado da mobilidade sustentável. Além desta atuação federal, também foram lançados programas estaduais de financiamento. Existem três tipos principais de operadores de estações de recarga: os fabricantes de automóveis, os fornecedores de energia e as start-ups da mobilidade. Em um mercado altamente competitivo, os players do setor concentram-se nas rotas de alto tráfego e nas principais áreas de consumo (shopping centers, restaurantes de fast food, lojas de bricolagem, etc.). Esta concorrência resulta em uma forte variação de preços para o cliente final que varia de 0,39 euros/kWh (EnBW) a 0,79 euros/kWh (Ionity).

16/09/2021