Check-in, despacho de bagagem, controle de segurança… No aeroporto, todas as etapas até o avião interessam a automatização que deve facilitar a vida dos passageiros. Uma transformação que tem entre seus principais atores a VINCI Airports.

A possibilidade de fazer o check-in do voo pela internet e baixar a passagem no celular permitiu ao passageiro vislumbrar a transformação digital em curso nos aeroportos. Essa transformação é implementada em um processo contínuo que irá transformar completamente a experiência de viagem de avião.

A cadeia de blocos, a robótica, a inteligência artificial… « As tecnologias mais modernas são convocadas para tornar a viagem « fluida e sem costura » (« smooth and seamless ») », comenta Cédric Laurier, diretor técnico na VINCI Airports.

No final de 2021, três quartos dos aeroportos no mundo serão dotados de sistemas de verificação de identidade biométrica.

Para a VINCI Airports, do grupo VINCI, que opera 46 plataformas aeroportuárias no mundo, o aeroporto é mais do que um espaço de transição exigindo fluidez: « é um espaço de vida onde você acompanha parentes, amigos, um espaço que queremos tornar mais humano, com o apoio do que há de melhor na tecnologia digital », salienta Cédric Laurier.

Check-in, despacho de bagagem, controle de segurança, todos os segmentos do percurso do viajante são abrangidos. A VINCI Airports testa neste momento uma solução de despacho de bagagem automatizada em três aeroportos: Lisboa (Portugal), Nantes (França) e Kansai International (Japão). « Até então, o passageiro podia fazer sozinho o check-in e o cartão de embarque, agora ele vai poder despachar ele próprio a bagagem », explicar o diretor técnico.

Biometria nas fronteiras

A VINCI Airports tem projetos inovadores baseados na biometria para reduzir o tempo de espera no controle de segurança, um dos gargalos do percurso até o avião. Otimizando o reconhecimento facial, o sistema permitirá que o passageiro passe pelos controles nas fronteiras sem ter que exibir várias vezes seu passaporte.

Essa inovação vai no mesmo sentido que os esforços envidados pelos principais fornecedores de serviços para a indústria aeronáutica que apresentou o identificador biométrico como a nova referência no aeroporto.

O passageiro escaneia seu passaporte e cartão de embarque, em seguida tira uma foto com o aparelho integrado no dispositivo. O software compara a foto do passaporte com o selfie para confirmar a identidade do passageiro. Segundo os fornecedores, três quartos dos aeroportos no mundo serão equipados com sistemas de verificação de identidade biométrica.

BIM e manutenção preditiva

Se as tecnologias digitais permitem aprimorar aos poucos a experiência do viajante, permitem também « gerenciar melhor os equipamentos », observa o diretor técnico da VINCI Airports salientando as vantagens do BIM.

A maquete digital realizada para o projeto e a realização das novas infraestruturas, como em Santiago do Chile ou em Salvador da Bahia (Brasil), traz informações valiosas sobre o funcionamento de um equipamento. O plano 3D integra por exemplo dados sobre a localização de um elevador, mas também sua marca, seu ano, as datas de reposição dos componentes, o cronograma de manutenção…

Analisando o ranger de uma esteira, podemos antecipar uma pane, intervir e assim prevenir antes que remediar. A manutenção preditiva permite aprimorar o desempenho. Contribui também para o conforto do viajante, que vê os obstáculos desaparecerem à sua frente, ganhando assim um tempo para ele ou para melhor viver com os outros.

10/07/2019