Único do gênero em termos de rapidez de instalação e autonomia, o hospital móvel do Centro de Resposta a Desastres de Toulouse foi projetado em parceria com a Cegelec Défense.

Para apoiar seu serviço de pronto-socorro que estava ficando saturado com o afluxo de pacientes por conta da segunda onda da Covid-19, o centro hospitalar da Costa Basca em Baiona (Pireneus Atlânticos, França) recebeu em 9 de novembro de 2020 um hospital móvel sui generis: a Unidade móvel multiuso Europe Occitanie (UMPEO).

Transportada por um caminhão de 18 toneladas, esta unidade de tratamento de 13 metros de comprimento, pesando cerca de 10 toneladas, composta por um único container com cinco células instaláveis, foi instalada em apenas 20 minutos com todo o equipamento necessário integrado (macas, respiradores, monitores, bombas de seringa, produtos de morfina, perfusões, etc.). A UMPEO pode tratar simultaneamente dez pacientes em urgência relativa e oito em urgência absoluta.

“As equipes da Cegelec Défense e do SAMU 31 trabalham sobre um segundo protótipo em final de realização em nossas oficinas.”

Esta estrutura inovadora é o resultado do encontro entre uma necessidade manifestada há anos pelo Professor Vincent Bounes, chefe do serviço SAMU 31, e a expertise da Cegelec Défense, subsidiária da VINCI Energies especializada em serviços tecnológicos nas áreas de defesa e segurança.

Após o acidente em particular na fábrica AZF em setembro de 2001, procuramos uma solução para criar uma estrutura totalmente autônoma adaptada à medicina de desastre e catástrofe (ataques em massa, acidentes industriais, catástrofes naturais, etc.). Mas as soluções existentes não atendiam todos os nossos imperativos, especialmente a necessidade de montar uma estrutura em menos de uma hora”, conta Vincent Bounes. Foi durante um congresso de saúde em 2019 que descobrimos o demonstrador do “shelter” ou abrigo da Cegelec Défense.”

Otimizar a rapidez de implementação operacional

Foi daí que nasceu a ideia de projetar um hospital móvel recondicionando uma estrutura existente de posto de comando projetada pela Cegelec Défense para as operações externas da Força Aérea. O projeto é respaldado pelo novíssimo Centro de Resposta a Desastres de Toulouse, que pôde utilizar parte do orçamento europeu de 2,3 milhões de euros alocado no âmbito do POCTEFA (Programme Interreg V-A Espagne-France-Andorre) para concretizá-lo.

Organizamos muito rapidamente sessões de coworking a cada duas semanas entre as equipes do SAMU 31 e nossas equipes, inclusive durante o período do primeiro confinamento, explica Frédéric Tribet, dirigente da Cegelec Défense Solutions & Services. Integramos continuamente soluções mecânicas e elétricas no abrigo, levando em conta os procedimentos de intervenção e os equipamentos médicos específicos do SAMU. Ao mesmo tempo, asseguramos a alimentação em eletricidade, para ter um backup em caso de corte de energia, e otimizamos a rapidez de implementação operacional para que o abrigo possa ser instalado muito mais depressa do que as soluções existentes com as tendas.”

Iniciado fora do contexto Covid-19, o projeto revelou-se perfeitamente adaptado ao conceito de um hospital “fora dos muros”, ou deslocalizado, do Professor Louis Lareng, fundador do SAMU. “Na verdade, a primeira atuação operacional ocorreu em setembro de 2020, quando a UMPEO foi utilizada como centro móvel de rastreamento Covid-19 em seis cidades no sul da região de Haute-Garonne, por requisição do representante do Estado“, explica Gilles Laborde, Presidente da Cegelec Défense.

Quanto à sua utilização em Baiona, parece ter recebido aprovação unânime: “tanto o conforto quanto a ergonomia no trabalho são muito satisfatórios“, constata Vincent Bounes, que evoca uma implantação desta estrutura móvel em Navarra no início de 2021 para servir como centro de rastreamento Covid-19, “o que demonstra sua grande versatilidade“, observa o chefe do SAMU de Toulouse.

Um segundo protótipo em fase de finalização

Entretanto, ao retornar de Baiona no final de novembro de 2020, a UMPEO foi equipada com um sistema de satélite que permite operações de regulação hospitalar à distância e com o sistema de comunicação Antares. A estrutura terá então funcionalidades duais, com uma primeira configuração como posto médico avançado e uma segunda como posto móvel de gerenciamento de crises, dependendo do equipamento embarcado.

“Além disso, as equipes da Cegelec Défense e do SAMU 31 estão trabalhando sobre um segundo protótipo em final de realização em nossas oficinas”, declara Gilles Laborde. “Desta vez, é uma unidade móvel de descontaminação química hospitalar com capacidade de tratamento de 100 a 150 vítimas por hora, dependendo da configuração. O comissionamento está previsto para final de dezembro de 2020, indica Frédéric Tribet.

Por último, a mais longo prazo, um outro projeto em andamento chamado DOMUS visa criar uma cúpula de simulação sensorial em Toulouse. “Esta cúpula se destina a treinar o pessoal de resgate de emergência e capacitá-los a praticar em situações extremas. Será a primeira vez na Europa“, garante o presidente da Cegelec Défense.

14/01/2021