No início do ano, os especialistas ainda ponderavam as perspectivas de uma diminuição das emissões globais de CO2. Naquela altura, o balanço de 2019 era relativamente animador: as emissões não tinham aumentado, e as do setor energético tinham diminuído ligeiramente (em 1,2%). O planeta ainda estava longe de uma rota compatível com o objetivo de limitar fortemente o aquecimento global, mas a curva das emissões de gases com efeito de estufa parecia estar “quebrando”.

Desde então, a pandemia de coronavírus atingiu quase todas as regiões do planeta, causando muitas vítimas e parando a economia. Qual poderá ser o impacto a longo prazo desta crise sanitária sobre a transição energética? Fica colocada a questão.

23/07/2020

Descubra mais